Consulte a Melhor Programação para o seu filho

Consulte a melhor programação para o seu filho

Ver todas as atrações


Você está preparado para ter seu filho morando em casa até depois dos 40?

30 de Janeiro de 2018 | Meu Dinheirinho

filho_adulto_com_pais_thinkstock.jpg (55 KB)

Por Carlos Eduardo Costa

Antigamente, o maior sonho dos jovens era começar a trabalhar, ter uma renda e conquistar a independência, que era simbolizada pela saída da casa dos pais. Os dados trazidos pelo último censo mostram que hoje a realidade é diferente. O número de adultos vivendo com os pais cresceu bastante. Alguns fatores explicam esse fenômeno.

O primeiro deles é a troca de prioridade por parte dos jovens. Hoje, eles buscam deslanchar nas carreiras escolhidas, para, somente após alcançar alguma estabilidade, buscar a constituição de uma família (que já não é um objetivo tão geral). Nesse sentido, a maior preocupação é a formação acadêmica, e a ampliação da oferta de cursos superiores ajudou bastante. Depois de um curso de graduação, muitas vezes seguidos de uma pós-graduação, chega o momento de encontrar um bom emprego. E aí começa a batalha pelo crescimento profissional. É hora de dedicação total. Continuar morando com os pais é fundamental para diminuir despesas e até mesmo complementar o orçamento com ajuda dos pais. Encontrar alguém e formar uma família passa a ser um objetivo secundário.

Outro fator é a mudança do tamanho das famílias brasileiras. O melhor planejamento familiar e a diminuição da taxa de fecundidade das mulheres brasileiras levaram a uma revolução nas nossas famílias, antes numerosas e agora cada vez menores. As antigas famílias constituídas por pais e um número elevado de filhos são hoje cada vez mais raras. Agora, uma família com três filhos já é considerada enorme. Essa diminuição das famílias está permitindo aos pais garantir a seus filhos uma melhor qualidade de vida. Anteriormente, quando tinham um número grande filhos, os pais contavam com a diminuição de despesas após a saída de casa dos filhos mais velhos para prover o sustento dos filhos mais novos.

A crise da economia brasileira nos últimos anos também ajudou neste fenômeno. Com a diminuição dos postos de trabalho, tem sido cada vez mais difícil para os jovens se encaixarem no mercado de trabalho. Sem renda, não é possível, mesmo para aqueles que desejam, sair da casa dos pais. O caminho inverso foi o mais comum. Muitos que já tinham adquirido sua independência, desempregados, tiveram com única alternativa retornar para a casa dos pais.

E quais são as consequências deste fenômeno? Para os filhos, muitas vezes um amadurecimento cada vez mais tardio, inclusive em seu comportamento financeiro. Alguns jovens já adultos desconhecem os compromissos financeiros e muitas vezes, garantem o padrão de vida contando com uma ajuda financeira dos pais. Para os pais, sustentar por muitos anos um filho já adulto pode dificultar a formação de uma economia que será necessária no momento da aposentadoria. Em outras palavras, pode dificultar uma tranquilidade financeira maior no futuro.

Para evitar essas consequências negativas é preciso investir na educação financeira da família. Dos pais e dos filhos!

 

 Facebook-01.png (83 KB) Instagram-01.png (104 KB)