Consulte a Melhor Programação para o seu filho

Consulte a melhor programação para o seu filho

Ver todas as atrações


E eu com isso?

17 de Novembro de 2015 | Lição de Casa

EmpatiaEmpatia é a capacidade psicológica de se colocar no lugar do outro. De imaginar o que sentiríamos se estivéssemos na mesma situação em que o outro se encontra. Mesmo que a circunstância vivida pelo outro não nos inflija diretamente, a empatia nos permite sensibilizar pelo que o outro está passando, seja numa circunstancia positiva ou negativa. Estabelecer empatia parece ser uma coisa complexa, principalmente no contexto atual. 

Desenvolver empatia é mais simples do que parece. Começa cedo. Em pequenos gestos. Com quem está mais próximo de nós. Em casa com a família, com os vizinhos do prédio, da rua em que moramos. Vai aos poucos se estendendo, sendo disseminada para outras áreas de nossa vida até se tornar um pensamento espontâneo, um modo de vida que seja intrínseco. 

As crianças nos observam a todo tempo e tendem a repetir os valores e códigos sociais do meio em que nascem, crescem, vivem e se estabelecem. Seu primeiro núcleo social é o da família, onde desde cedo deve entrar em contato com a necessidade de pensar em si sem esquecer-se do outro. Ao entrar para escola, esse círculo se amplia. O que é bom pra mim deve ser bom para o outro - ou no mínimo não prejudicá-lo. A escola deve ser um espaço de aprendizagem, que contribua para que as relações sejam harmônicas. Cabe aos adultos responsáveis por esse espaço cultivarem isso. 

Quando eventos que causam sofrimentos em grandes proporções acontecem a outrem, como catástrofes naturais, acidentes de grande magnitude e tragédias como recentemente ocorridas em Minas e na França, devemos aproveitar a oportunidade para repensarmos com quais valores estamos criando nossos filhos. Quais atitudes nossas estão servindo de exemplo para nossas crianças? Como estamos estabelecendo relações de empatia com os outros a nossa volta sob o olhar atento daqueles a quem ensinamos até quando não pretendemos? Como estamos explicando a nossos filhos em atitudes que não adianta ser o dono da bola sem ter com quem brincar?