Consulte a Melhor Programação para o seu filho

Consulte a melhor programação para o seu filho

Ver todas as atrações


Como evitar acidentes que podem causar traumas oculares

26 de Setembro de 2018 | Saúde - Notícias
choro-crianca-pixabay.jpg (78 KB)
Foto: Pixabay

 

Da redação

Traumas com lápis, caneta e outro objetos pontiagudos, arranhões de gato ou cachorro e queimadura por produtos químicos. Essas são algumas das causas que provocam traumas oculares nas crianças.

Segundo estudos, acidentes como os acima citados são frequentes na infância, principalmente em casa e nos meses de férias, em que as crianças estão mais envolvidas em brincadeiras e longe do acompanhamento de algum adulto. Os meninos têm mais registros desse tipo de problema, talvez pela frequência maior de brincadeiras de maior contato físico, apontam pesquisas.

Felizmente, são problemas que podem ser evitados com a conscientização dos pais sobre os riscos presentes dentro de casa e a supervisão constante de um adulto. "De acordo com a literatura mundial sobre o tema, a maioria dos acidentes ocorre dentro de casa. É complexa a prevenção do trauma doméstico, mas aumentando-se a conscientização dos pais, melhorando a supervisão e a exposição de crianças mais novas aos objetos e às situações potenciais de perigo, pode-se reduzir a sua ocorrência", comenta o doutor Alan Barreira, oftalmologista do HCLOE, empresa de oftalmologia especializada, do Grupo Opty em São Paulo.

A maior prevalência de traumas oculares encontra-se nas crianças entre 2 a 6 anos, o que se justifica pela imaturidade do sistema motor, senso de risco limitado e curiosidade infantil natural mais aparente nessa faixa etária, afirma Barreira. Porém, as lesões com maior perda visual são relatadas na garotada maior de 6 anos. Abrasão corneana causada por madeira, pedra, bola, chave, lápis e caneta é a causa de trauma ocular mais comum na infância, segundo estudos publicados no país.

De acordo com Barreira, as consequências dos traumas oculares vão desde dor e olho vermelho por uma abrasão corneana, até a formação de úlcera de córnea, catarata e a necessidade de evisceração do globo ocular, ou seja, a extração do conteúdo do globo ocular (íris, humor vítreo), em casos de perfuração do olho – daí a importância da prevenção.

Veja que cuidados tomar para evitar acidentes capazes de causar traumas oculares:

  • Deixar o cabo da panela virado sempre para dentro do fogão, evitando o fácil acesso de crianças e, consequentemente, de queimaduras térmicas oculares.
  • Manter longe do alcance das crianças os produtos de limpeza, perfumes, tintas e outras substâncias químicas.
  • Não presentear as crianças com brinquedos ou objetos pontiagudos: estilingues, canivetes ou tesouras com pontas. Essa medida reduz o risco de perfuração ocular.
  • Antes de comprar uma planta nova, verifique se ela não é venenosa e apresenta perigo para os pequenos em caso de ingestão ou contato com os olhos.
  • Orientar as crianças a tomar cuidado com arranhões de gatos, mordidas de cachorros e até bicadas de aves.
  • Supervisionar as crianças durante os jogos e brincadeiras. Ensinar as crianças a brincar e jogar com segurança, e ainda a ter consciência da possibilidade de lesões oculares.
  • Explicar às crianças que elas não devem coçar os olhos repetidamente, pois isso pode facilitar o aparecimento de infecções e do ceratocone, doença degenerativa da córnea, que leva a um astigmatismo irregular, podendo provocar graves dificuldades de visão, sem cura.
  • Em casa ou na escola, os responsáveis devem ficar atentos a objetos pontiagudos, como lápis e tesoura, mesmo sem pontas, pois podem se transformar em armas nas mãos  dos pequenos.
  • Mesmo em saídas rápidas, no próprio quarteirão de casa, ouso do cinto de segurança e das cadeirinhas apropriadas é indispensável e diminui o risco de perfuração ocular. Crianças de até 12 anos de idade devem estar sempre no banco traseiro. Jamais levar a criança, de qualquer idade, no colo.

 

Sintomas de alerta
A dor é o principal sintoma de alerta de que há algo errado. Crianças que choram muito, sem parar, e levam as mãos aos olhos, devem tê-los atentamente verificados pelos responsáveis. É importante comparar os dois olhos para tentar identificar alguma anormalidade entre eles

Como prestar socorro logo após um acidente ocular
Lave os olhos da criança com água limpa e em abundância. A exceção fica para os casos de perfuração ocular, quando é preciso levar imediatamente ao pronto socorro mais próximo. Nesse momento, é importante evitar a compressão do globo ocular até a avaliação da lesão provocada pelo acidente.


Referência:
Perfil do trauma ocular infantil em unidade de emergência oftalmológica – Revista Brasileira de Oftalmologia, 2018.

Facebook-01.png (83 KB) Instagram-01.png (104 KB)