Consulte a Melhor Programação para o seu filho

Consulte a melhor programação para o seu filho

Ver todas as atrações


Horário de verão: 5 dicas para ajudar as crianças a se adaptar à mudança

29 de Outubro de 2018 | Notícias
horariodeverao.jpg (93 KB)
 Foto: Pixabay

 

Da redação

Começa no próximo domingo, dia 4 de novembro, o horário de verão no Brasil, quando o relógio deve ser adiantado uma hora nos estados que aderirem à mudança. São eles: São Paulo, Rio de Janeiro, Minas Gerais, Espírito Santo, Rio Grande do Sul, Santa Catarina, Paraná, Goiás, Mato Grosso, Mato Grosso do Sul e no Distrito Federal. O objetivo é economizar energia e aproveitar mais a luz do sol, já que nas estações da primavera e verão, os dias são mais longos Em geral, a mudança de horário ocorre em outubro, mas este ano foi adiado para novembro por causa do segundo turno das eleições. A previsão de término do horário de verão é no dia 17 de fevereiro de 2019.

Embora uma hora pareça pouco tempo, a medida muda bastante a rotina das pessoas. Isso porque estamos acostumados a organizar nossas atividades de acordo com a luz do dia que, com a alteração nos relógios, amanhece e escurece mais tarde. Logo, a tendência é que nos primeiros dias a gente durma depois do horário habitual e também acorde mais tarde. As crianças também são afetadas pela mudança, podendo sentir alterações no apetite, no humor e na disposição, por exemplo. 

Segundo Danilo Sguillar, médico otorrinolaringologista e especialista em medicina do sono, os pequenos e os idosos são os que mais sofrem. As crianças, porque têm mais dificuldade de se ajustar aos novos horários, e os idosos, porque têm hábitos matutinos - eles tendem a dormir e acordar cedo e, com a alteração no relógio, podem acordar mais cedo ainda. "O impacto maior ocorre nas crianças que não têm bons hábitos de sono, porque vão dormir muito tarde, assistindo televisão ou em contato com jogos, tablets e celulares", explica Sguillar, que também é membro da Associação Médica Brasileira (AMB) e mestre pela Universidade Federal de São Paulo (Unifesp).

O médico afirma que crianças pequenas, de até por volta dos 4 anos, tendem a ser menos afetadas se tiverem o hábito de tirar um cochilo durante o dia, somando em média 12 horas de sono. Já os adolescentes sofrem com a mudança, pois têm hábitos vespertinos, destaca Sguillar. “Os jovens costumam dormir mais tarde, mas, em geral, estudam pela manhã, então, eles serão privados de sono”.

Dicas para amenizar os impactos do horário de verão nas crianças

  • Uma semana antes do início do horário de verão, começe a colocar o seu filho para dormir 10 minutos antes do horário habitual e acorde-o 10 minutos mais tarde 
  • Diminua o ritmo de atividades à noite e priorize a prática de exercícios leves ao longo do dia, mas não próximos da hora de dormir
  • Mantenha um ritual antes do sono que ajude a criança a relaxar. Pode ser um banho quente, seguido da leitura de um livro, uma música calma ou massagem, por exemplo.
  • Se a criança tem dificuldade para acordar, abra as cortinas e deixe que entre bastante luz natural no ambiente assim que ela levantar, para que o corpo entenda que não é mais hora de dormir
  • Pode acontecer do seu filho comer menos nos primeiros dias de horário de verão, já que ele fará as refeições uma hora mais cedo. Procure, portanto, oferecer uma alimentação saudável e leve, principalmente, à noite. A ingestão de água também é importante.

 

Facebook-01.png (83 KB) Instagram-01.png (104 KB)