Consulte a Melhor Programação para o seu filho

Consulte a melhor programação para o seu filho

Ver todas as atrações


De Beagá para a Disney: conheça a artista que vai vender suas obras no parque

01 de Abril de 2017 | Diversão

Por Rafaela Matias

De mala e cuia para a Disney: Karin Arruda será a primeira brasileira a vender quadros na galeria de arte do parque temático | Foto: Gustavo Andrade"Onde os sonhos se tornam realidade." Esse é o tema do Magic Kingdom, uma das principais atrações dos parques do Walt Disney World, em Orlando, nos Estados Unidos. Para a artista plástica Karin Arruda, de 43 anos, a frase não poderia soar mais verdadeira. Especialista em esculturas de papel, ela foi convidada no fim do ano passado para integrar o seleto quadro de profissionais que expõem e vendem suas obras na galeria de arte da Disney. Hoje, são cerca de trinta artistas de todo o mundo e Karin será a primeira brasileira, levando quadros temáticos com esculturas dos personagens da marca. "Esse é um sonho antigo e me pegou de surpresa. Dei alguns quadros de presente para amigos que moram na Califórnia e um deles mostrou a um dos vice-presidentes da Disney. Ele me indicou na galeria e começamos a negociação", revela.

Agora, falta registrar poucos documentos junto às autoridades americanas para que Karin embarque de mala e cuia para a terra do Mickey, na primeira quinzena de junho. Quem está em êxtase com a ideia é o filho dela, Thomas, de 8 anos. Orgulhoso, ele não se cansa de espalhar a notícia de que a mãe, artista, vai trabalhar no parque de diversões mais famoso do mundo. E, claro, de que ele vai morar lá. Para evitar desilusões, ela alerta: "Vamos morar em Orlando e na cidade também haverá escola e responsabilidades". Mesmo assim, Thomas sabe que, estando perto de tantos brinquedos, a curtição nos fins de semana está garantida.

Hoje, o pequeno colhe o que a mãe começou a plantar quando tinha a sua idade. Filha de uma artesã, Karin aprendeu técnicas artísticas bem pequena e, aos 9 anos, entrou para uma escola de artes de Brasília, sua terra natal. Ficou na instituição até os 18 anos e, em 1992, veio para Beagá cursar medicina veterinária na UFMG. O amor pelos bichos não conseguiu superar o amor pelas telas e, em 2012, Karin se especializou em esculturas de papel, inspirada pelo ilustrador brasileiro Carlos Meira e pelo artista americano Jeff Nishinaka, decidindo fazer da arte a sua profissão definitiva. As suas esculturas são feitas quase integralmente em papel, utilizando bisturis, tesouras e outros instrumentos para dar forma aos personagens. E essa brincadeira dá trabalho: cada obra demora de quinze a sessenta horas para ser finalizada.

Reprodução

Enquanto se prepara para o grande dia, a artista recorda a primeira vez que esteve na cobiçada terra onde agora será o seu local de trabalho. "Eu tinha 15 anos e o que mais me chamou a atenção por lá é o que me chama atenção até hoje: o cuidado com os detalhes", lembra. É com esse mesmo cuidado que Karin pretende produzir suas obras, permitindo que os visitantes levem um pouquinho da magia para casa.

Quem tiver a sorte de embarcar para Orlando (lembrando que o aeroporto de Confins já faz voos diretos pra lá!) poderá conhecer um pouco mais do trabalho de Karin e comprar seus quadros temáticos por uma média de 500 dólares. Os brasileiros que ainda estão sonhando com este momento poderão fazer encomendas de outros quadros, que não sejam dos personagens da empresa — por questões contratuais, eles só podem ser vendidos in loco. O contato para pedidos será feito pelo site www.karinarruda.com.

Cadê os quadros da Disney?

Você pode ter sentido falta das esculturas com personagens da Disney nesta reportagem. Afinal, foram elas que chamaram a atenção de uma das maiores empresas do mundo e que serão vendidas por lá. Não foi possível reproduzi-las aqui por uma questão contratual fechada entre Karin e a instituição americana, que pediu até mesmo que ela apagasse as imagens de suas redes sociais. A partir de agora, Karin apenas poderá expor as obras que serão vendidas na Disney mediante prévia aprovação da empresa.