Consulte a Melhor Programação para o seu filho

Consulte a melhor programação para o seu filho

Ver todas as atrações


Pico da Bandeira oferece oportunidade de integração entre pais e filhos

01 de Junho de 2018 | Colunas
Pico_da_Bandeira_nascer_do_sol_wikimedia.jpg (221 KB)
Foto: Igor Tibiriçá Mendes / Wikipédia

 

Por Luís Giffoni

As chuvas se foram, o inverno chegou, é tempo para uma saudável caminhada. Se sua família gosta de pôr o pé na estrada, curte uma aventura de verdade e está em boa forma física, aqui vai uma dica: conquistar o terceiro pico mais alto do Brasil, o da Bandeira, na divisa entre o Espírito Santo e Minas Gerais, no Parque Nacional do Caparaó. Ele tem quase 3.000 metros de altitude, a subida não é difícil, o pôr do sol (ou o nascente) no cume marca a memória da gente, a temperatura cai abaixo de zero à noite, a oportunidade de integração entre pais e filhos é imperdível.

Há, ainda, a beleza do lugar. Numa vista de 360 graus, as montanhas se sucedem a perder de vista, e o verde predomina. O prazer de estar lá em cima, num dos picos mais isolados das Américas (altitude semelhante só se encontra na Bolívia, a mais de 2.000 km de distância), compensa o esforço. A vegetação, às vezes estranha, às vezes explodindo em cores, constitui um espetáculo à parte. Os bichos também. Vi por lá um beija-flor tão minúsculo que mais parecia uma abelha. Ou teria sido uma abelha fantasiada de beija- flor? Diversas cachoeiras da região revigoram nosso corpo. À noite, o céu tem dez vezes mais estrelas que em São Paulo, Rio ou BH. O ar puro e frio nunca viu poluição. Dá vontade de engarrafá-lo para usar depois da volta, num dia de trânsito maluco, enquanto levamos os filhos à escola.

O Pico da Bandeira pode ser alcançado pelo Espírito Santo, através da cidade de Dores do Rio Preto, numa rota menos extensa, porém muito íngreme, desafio apenas para os bem treinados.

A caminhada pelo lado mineiro, a partir de Alto do Caparaó, é mais tranquila, além de essa cidade oferecer todo o suporte necessário, desde a acomodação até os equipamentos. O trajeto dura ao redor de oito horas, sem afobação. Como fica dentro de um Parque Nacional, não há bares e restaurantes na trilha, portanto água e comida deverão ser levadas na mochila. Existem dois lugares para acampar: Tronqueira e Terreirão, este a 2.300 metros. Às vezes, há superlotação de barracas. Portanto, para pernoitar, uma reserva deverá ser feita com antecedência no site do parque (www.icmbio.gov.br/parnacaparao). Se subir à noite, contrate um guia. É mais seguro, e ele lhe dará preciosas informações sobre a área.

No mais, é partir para a conquista dessa montanha que, por muito tempo, foi considerada a mais alta do Brasil. Depois da aventura, pais e filhos levarão vida afora as saborosas lembranças de uma grande aventura.

 

Luís Giffoni é cronista, romancista e palestrante. Autor de 26 livros, tem nas viagens uma de suas paixões. Nelas aprende a diversidade do mundo e das pessoas, experiência que acaba traduzindo em suas obras. Neste espaço, dá dicas sobre como aproveitar o mundo com os pequenos. giffoni@canguruonline.com.br

 

Facebook-01.png (83 KB) Instagram-01.png (104 KB)