Consulte a Melhor Programação para o seu filho

Consulte a melhor programação para o seu filho

Ver todas as atrações


3 maneiras de acabar com o bullying entre as crianças nas escolas

10 de Agosto de 2017 | Lição de Casa
bullying_istock1.jpg (99 KB)
Bullying é uma forma de agressão, ainda que verbal, de forma recorrente

Por Ilkeline de Paula

O termo bullying surgiu na língua inglesa referindo-se a comportamentos agressivos físicos ou verbais, sem motivação aparente, de forma intencional e recorrente. O bullying pode ser praticado individualmente ou em grupo com o objetivo de menosprezar, intimidar ou agredir alguém em situação vulnerável ou sem condições de se defender, provocando danos físicos, emocionais ou psicológicos. Mais recentemente, também há vários relatos de cyberbullying, quando são usados meios eletrônicos para efetuar as agressões.

Este tipo de comportamento vai além de uma desavença corriqueira ou um desentendimento isolado entre pessoas. Uma das características do bullying ou do cyberbulling, conforme dito anteriormente, é ser uma agressão recorrente. Comumente pode-se pensar que isso ocorre entre adolescentes ou entre adultos, mas não são raros os casos em que crianças ainda pequenas são vítimas ou praticam o bullying. O impacto desse comportamento agressivo pode prejudicar a vítima e o agressor em diversos aspectos como problemas escolares, de ansiedade, comportamento antissocial, automutilação e depressão.

O que fazer para prevenir ou corrigir possíveis ocorrências de bullying no ambiente escolar?

Seguem algumas sugestões de práticas em relatos que foram bem sucedidos:

#1 Conversar sobre bullying e cyberbullying através de projetos e atividades que envolvam toda comunidade escolar e as famílias;

#2 Criação de espaço de ouvidoria e conciliação de pequenos conflitos dentro da escola, para que os casos de agressões sejam denunciados e as providências legais sejam tomadas;

#3 Trabalhar cotidianamente valores, sentimentos e comportamentos que contribuam para o desenvolvimento de uma sociedade justa, como respeito às diferenças, empatia, solidariedade, diálogo, direitos e deveres de todos.