Consulte a Melhor Programação para o seu filho

Consulte a melhor programação para o seu filho

Ver todas as atrações


É importante falar sobre dinheiro na educação dos filhos

11 de Setembro de 2017 | Artigos
coins-1523383_960_720.jpg (164 KB)
Foto: Pixabay

Por: Ricardo Zeno

Educar é preparar para os desafios da vida. Até bem pouco tempo atrás, as famílias não eram orientadas sobre planejamento financeiro, viviam uma outra realidade. No Brasil, a educação financeira é algo novo, não faz parte da nossa cultura realizar planejamento do orçamento familiar, nem se fala muito sobre dinheiro com crianças e jovens. Diferentemente do que acontece em países de economias mais avançadas, que entendem que o “bolso é parte sensível do corpo humano”. Por isso, é crucial pensarmos sobre educação financeira e ajudar que uma criança cresça responsável e bem informada. O caminho fica mais fácil quando começamos cedo, criando hábito, tendo a escola para reforçar a formação adquirida em casa.

 Pequenos ensinamentos farão a diferença no futuro. A educação financeira envolve a habilidade de fazer escolhas adequadas, com responsabilidade, assim a criança aprende a lidar bem com o dinheiro e as adversidades. Gastar com equilíbrio e poupar são práticas que precisam ser desenvolvidas. Não se endividar e conter gastos supérfluos são ótimos exemplos. Por volta de 5 anos, a criança já é capaz de entender que a família só pode gastar o dinheiro que tem.

No mundo virtual, há uma infinidade de informações, que podem ajudar os pais a passarem conhecimentos básicos às crianças, com livros, jogos, criação de grupos de ideias, pesquisas de comparativos de preços, e, claro, as brincadeiras, que incrementam esse aprendizado. O importante é começar cedo e provocar curiosidades.

Aqui vão algumas dicas que podem ajudar os investidores iniciantes:

» Passe a economizar, tente guardar, todo mês, um percentual fi xo do valor de seu orçamento e invista.

» Determine metas, prioridades e estipule prazos.

» Avalie o grau de riscos que suporta. O quanto pretende arriscar para ter um rendimento maior, assim terá um perfil de risco: conservador, moderado e agressivo.

» O mercado traz uma enorme variedade de investimentos para diversos perfis, objetivos, prazos e tolerância a riscos.

» Ao diversificar, você pode equilibrar o rendimento menor de um, com o bom desempenho do outro.

» Ao longo do tempo, avalie, verifique os resultados das metas estabelecidas e analise se permanecem válidas.

 A crescente popularidade de alternativas de investimentos tornou o acesso ao mercado financeiro cada vez mais simples e comum na vida do investidor e, ao mesmo tempo, devido ao pouco conhecimento nesse universo, não são raros os erros. Por isso, invista em educação financeira de seus filhos desde cedo, para que eles saibam investir sem cometer grandes erros no futuro.

Ricardo Zeno é consultor de finanças pessoais e finanças corporativas, além de profissional de investimentos. Atua como CEO nas empresas AZ Investimentos e Alliance Capital Group e é autor do livro Nasce um Investidor - Como ingressar na bolsa de valores.