Consulte a Melhor Programação para o seu filho

Consulte a melhor programação para o seu filho

Ver todas as atrações


Confira o que rolou no 3º Seminário Internacional de Mães

08 de Maio de 2017 | Notícias

Por Catarina Ferreira, Cristina Moreno de CastroGabriela Willer, Juliana Sodré, Luciana Ackermann, Sabrina Abreu e Verônica Fraidenraich

 

{{{{NTA=}}}}

A Canguru tem muito orgulho de ser uma das organizadoras do maior evento voltado para as mães no Brasil. A terceira edição do Seminário Internacional de Mães aconteceu neste sábado, 6 de maio, no Hotel Maksoud Plaza, em São Paulo, e reuniu 1.006 pessoas -- 917 mulheres (91% do total) e 89 homens.

infoseminario.jpg (125 KB)
Conheça o perfil do público que participou do seminário

 

O evento foi um verdadeiro sucesso, com auditório lotado em todas as palestras, além de coffe breaks animadísimos, sendo a oportunidade para as mães fazerem amizades e trocarem ideias e experiências.

O estande da Canguru também teve filas ao longo de todo o dia, com mães passando para gravar um depoimento respondendo à nossa pergunta: "O que você faz para criar filhos melhores para o mundo?" 

Cinco feras em suas áreas de atuação foram convidadas para falar com o público, mediadas pela diretora de conteúdo da Canguru, Ivana Moreira: Mara Luquet, colunista da CBN, que falou sobre educação financeira para a família, Tina Bryson, psicoterapeuta norte-americana coautora dos best-sellers "O Cérebro da Criança" e "Disciplina Sem Drama", o médico Drauzio Varella, que falou sobre a importância de as mães cuidarem de si mesmas, Estela Renner, que fez um balanço do que aprendeu com seu documentário "O Começo da Vida", e o escritor Marcos Piangers, autor de "O Papai é Pop".

As palestras

Mara Luquet abriu o evento frisando que o principal investimento que as mães podem fazer por seus filhos é cuidar delas próprias e se protegerem financeiramente para terem uma velhice tranquila. Ela também destacou que o maior legado que os pais podem deixar a seus filhos é ensiná-los a fazer escolhas e, para isso, é essencial dizer "não" e orientar sobre o que é prioridade e o que é supérfluo. CLIQUE AQUI para ler a reportagem completa sobre a palestra de Mara Luquet.

Tina Bryson teve que participar do encontro via videoconferência porque seu filho estava doente -- coisa de mãe, né? Ela despertou especial interesse dos pais e também de pessoas que vieram ao seminário com objetivo profissional/acadêmico. Ela mostrou, de forma bem científica, como funciona o cérebro das crianças pequenas e por que não vale a pena gritar com elas ou tentar usar argumentos lógicos na hora da birra, por exemplo. CLIQUE AQUI para ler a reportagem completa sobre a palestra de Tina Bryson.

8tinabryson_seminariodemaes_gustavo.jpg (265 KB)
Tina Bryson teve que fazer a palestra via videoconferência | Foto: Gustavo Andrade

Drauzio Varella reservou boa parte de sua conversa para exaltar a importância dos exercícios físicos para a saúde e a importância de as mães também olharem para a própria saúde, e não só para a dos filhos. Fazer exercício tem que ser um hábito, assim como escovar os dentes e tomar banho, disse o médico. "Não tem tempo? Problema seu, você que tem que saber como vai resolver esse problema." O público gostou tanto da conversa que, ao final, além de aplaudir Varella por vários minutos, ainda cantou parabéns pelo aniversário que o palestrante estava comemorando nesta semana. CLIQUE AQUI para ler a reportagem completa sobre a palestra de Drauzio Varella.

"As palestras foram empolgantes, especialmente a do médico Drauzio Varella. Eu corro e pedalo e gostei quando ele falou que mais importante que lembrar que a atividade física faz bem à saúde é saber que o sedentarismo faz mal", disse a agrônoma mineira Daniela Finotti, 36 anos, mãe de cinco filhos.

Estela Renner conversou sobre o que aprendeu com seu filme "O Começo da Vida, que foi exibido em mais de 7000 salas de cinema ao redor do mundo, e também disponibilizado no iTunes, na Netflix e na plataforma VídeoCamp, além de ser utilizado como ferramenta da campanha mundial da Unicef pela primeira infância. CLIQUE AQUI para ler a reportagem completa sobre a palestra de Estela.

4estelarenner_seminariodemaes_gustavo.jpg (143 KB)
Estela Renner falou sobre 'O Começo da Vida' | Foto: Gustavo Andrade

 

Por fim, Marcos Piangers arrebatou a plateia com um discurso emocionadíssimo, visceral, e muitas vezes engraçado, em que compartilhou sua história, de filho criado só pela mãe "solteira" até pai de duas garotinhas que estão se tornando verdadeiras feministas. CLIQUE AQUI para ler a reportagem completa sobre a palestra de Marcos Piangers.

"A forma como ele fala da paternidade é admirável, ainda mais num país como o Brasil onde existe uma cultura de que os homens não têm responsabilidade com os filhos", diz a psicóloga Layane Gedraz, 35 anos, mãe de seis filhos e autora do site Mamae 6 Estrelas.

14_marcospiangers_seminariodemaes_gustavo.jpg (137 KB)
Marcos Piangers emocionou todo mundo | Foto: Gustavo Andrade

 

Público especial

9_maede7_seminario_gustavo.jpg (309 KB)
Julyana é mãe de 7 | Foto: Gustavo Andrade

Se os palestrantes fizeram sucesso no palco, na plateia, as mães promoveram um evento a parte. Dentre os 1006 participantes, de 13 Estados do país, havia de tudo um pouco. Grupos de amigas, casais com filhos pequenos, mães sozinhas com seus bebês, mulheres solteiras e grávidas.

Julyana Mendes, 40 anos, mãe de sete filhos e autora do instagram Mãe de Sete (@maedesete), que tem 227 mil seguidores, era uma das mais solicitadas para posar para fotos. A blogueira de Brasília, que participa do seminário pela segunda vez, diz que consegue se ausentar de casa por uns dias graças à rede de apoio que a ajuda com os filhos. “Esse papo de que mãe tem que dar conta de tudo sozinha não existe. Eu, felizmente, além do meu marido, tenho o auxílio da minha mãe, de uma tia e da sogra, sempre que preciso”.

Famílias numerosas, como as de Julyana, são exceção na sociedade brasileira e também o foram no evento. A maioria das participantes – 73% – tinha entre um e dois filhos. Como é o caso de Rosalva Loureiro, 37 anos, de Manaus, no Amazonas, que veio assistir às palestras com quatro amigas e aproveitou para passear um pouco por São Paulo. “Estar num evento como esse é muito bom porque o que foi falado aqui é o tipo de conhecimento que toda mãe e pai deveriam ter, afinal, é um desafio criar filhos, eles não vêm com manual”.

Luiza Martinez, 35 anos, foi sorteada na empresa em que trabalha e ganhou um ingresso para ir ao seminário com o marido, o administrador Guilherme Sales, 37 anos. Grávida de oito meses, ela compunha a parcela de 14% de mulheres gestantes no evento. Aguardando a chegada da primeira filha, o casal diz que os temas abordados os ajudaram a esclarecer muitas dúvidas. “Além das palestras, a troca de figurinhas com outras mães é sempre muito rica”, afirmou Luiza, que é gerente de recursos humanos.

Minoria de papais

Quem pensa que o 3 º Seminário Internacional de Mães não contou com a presença de homens está muito enganado. Eles estavam lá firmes, fortes e participativos. Ora trocando fraldas, ora carregando os filhos prá lá e prá cá, ora ninando bebê. Em um evento de mães, 9% dos inscritos foram homens. Como o empresário Ricardo Oliveira, de 34 anos, que viajou cerca de 400 km, de ônibus, entre Jacuí, interior de Minas, para São Paulo, com a esposa Ludmila Mota de Oliveira, de 33 anos, médica, que está no terceiro mês de gestação.

Henrique Souza, de 36 anos, analista de sistema, também fez questão de acompanhar a esposa Graziella Nalin, que tem o hábito de seguir algumas blogueiras, que escrevem sobre maternidade. “Ela comentou sobre o evento e eu quis vir também. Acho importante o casal conhecer ideias novas sobre como educar nossos filhos."

paisblogueiros_jamileromeu.JPG (210 KB)
Os pais blogueiros | Foto: Jamile Romeu

Pelos menos sete homens que escrevem blogs sobre a paternidade marcaram presença no seminário. Um deles é Marcos Romeu, de 35 anos, autor do Papai no Controle, que viajou com a esposa, Jamile, com 12 semanas de gestação, e a pequena Tarsila, de 2 anos, de Brasília para acompanhar as palestras e debates. Romeu conta que teve um pai ausente e que seu avô se empenhou ao máximo para suprir essa carência.